77777777777777777777777777777777777

RSS
Olá Baby. Com tecnologia do Blogger.

O que confessas?


Encontrei na internet uma página com vários canais de televisão. Fiz zapping por todos e acabei por parar em "Unreliable Sources", canal americano, onde estava a passar um programa ao vivo de nome Confessions.


Um homem e uma mulher da rádio emitiam também para a TV em direto, sentados numa esplanada de um pub, telefonemas de espectadores. Tudo o que as pessoas tinham de fazer era ligar para confessar qualquer coisa.


E para meu espanto, confessam só coisas más. Confessam coisas ridículas e negativas sobre si mesmas, sem um vestígio de remorso ou consciência. E para quê? Passam um atestado de mediocridade e estupidez só para escutarem por apenas uns breves segundos as suas vozes a sair de um aparelho electrónico. Telefonam, dizem como se chamam e identificam onde moram. As «confissões» foram as seguintes: "Eu traio a minha esposa/namorada", "Eu ando a enganar a minha namorada e já contei 28 traições", "Eu dormi com a irmã da minha mulher", "Eu sinto-me atraido pela nova esposa do meu irmão e acho que ela sabe porque faz uns avanços", "Eu dormi com o marido da minha irmã e ele não sabe, porque somos parecidas. E foi muito bom, foi óptimo!", "Eu quero pedir desculpa à minha ex-esposa, à Tifany, à Candy, à Louise e também à Betty, à Mary, à Lucy.... A minha ex-mulher já não quer saber de mim. Depois de viver comigo ela diz que prefere mulheres". 

Sinceramente, depois dos exemplos de macho que ligaram para o programa, só acharia muito bem se as mulheres locais virassem todas fufas.

A maioria dos que ligaram mal sabiam falar o próprio idioma. Demoravam-se até colocarem uma sílaba em frente da outra. Muitas pareciam sob o efeito de drogas, tal era a incapacidade e o arrastar da fala. Não tão poucas vezes quanto isso, o apresentador desligava a chamada na cara das pessoas. Uma destas ligou novamente, quando lhe perguntaram o nome ele respondeu que era melhor não dizer porque já tinha ligado e podiam desligar-lhe novamente a chamada e pimba! Foi o que o apresentador fez.


Eu acho que eles estão a brincar com o fogo. Por um programa sem eira nem beira, arriscam-se a que apareça um com uma espingarda e aproveite que os apresentadores estão bem iluminados pelas luzes para lhes dar um tiro certeiro no meio da testa. É que os animadores anunciavam onde estavam localizados e pediam aos locais para aparecerem, que ganhavam uma t-shirt grátis. Mas atiravam-na para o ar, sem ver bem a quem, porque as luzes dos holofotes ofuscavam tudo. Ora, se isto não são dois veados encadeados pela luz do farol.... Era só disparar. E estão na terra certa para isso: Arkansas. A tratar as pessoas já de si más da cabeça, com descaso, desconsideração ou gozo. Sinceramente, a maioria dos que ligaram eram parolos. Gente pouco instruída, quase primária, que mal sabe comunicar via verbal e age por instinto de vontade. Ora para saciar o sexo, ora para saciar ímpetos de violência. "Eu voltei à escola e estou a trair a minha mulher. Eu acuso-a de estar a me trair, mas no fundo sei que não é verdade. Vim nos jornais há uns dias, porque a esfaqueei com uma chave de fendas". 

Este é o tipo de pessoa que ligou. Sinceramente, a América tem mesmo de tudo! Não invejo ninguém que viva na américa.



English version:
I was zapping on the web when I came across this TV show. It's name was "Confessions". A man and a good looking woman sitting  at night on a bar's porch, alive to TV. All they do is receiving phone calls and ask: "What's your confession?".

And people called, without stopping, just to listen to their own voices on TV. The stupidity of it all is that for "confessions" people clearly understood they should share something bad. Because that's all they did. Call after call, they "confessed" to be cheating on their spouses, to try and kill them and so on. About every and each one was about sex. Cheating, wanna to cheat with a sibling spouse, etc.

It was quite awful. Most of the callers didn't seem to be all that bright. Some could not even put a word after another. They sounded drugged. If that is what is there in America, omg! No wonder there's so much violence out there. I do not envy anyone of america origin. I can even better understand why woman turn to other woman instead of getting more patience to go and find a good man. Does it even exists?

I also find that the hosts pushed it to far. They would make fun of a caller, hung up on them, etc. At the same time, they would repeatedly tell them all to come to them out there in a bar's porch that they would receive a T-shirt. But the hosts were not able to see anyone approaching, since the powerful lights blind them. I just though they were pushing it and it would be so easy for one crazy angry person who felted injured and mistreated to reach for his gun and go there to kill them. I mean: they were just lightening up enough for it! Clear shot.











  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Publicar um comentário

Your brain here! Deixe a sua impressão!